Como Trazer Sua Empresa Física para a Internet

Índice

Cada vez mais os centros das cidades estão vazios, enquanto o varejo online está crescendo. Portanto, não perca a chance de entrar na Internet com seu próprio negócio.  

Em tempos de crise, muitos clientes querem comprar de varejistas locais porque confiam mais neles do que na concorrência anônima que opera apenas online. Agora você descobrirá quais opções existem para colocar seu próprio negócio on-line e quais ferramentas tornarão os primeiros passos mais fáceis para você.

Dica 1: Crie um perfil no Google Meu Negócio

O que costumava ser as páginas amarelas agora se chama Google Meu Negócio. É por isso que o primeiro passo que você, como empreendedor, deve dar na internet é fazer o seu próprio cadastro. Para fazer isso, visite a página Meu Negócio do Google e procure a entrada para sua empresa lá ou crie-a se ela ainda não existir. Você também pode se autenticar, enviando um documento para o Google com seu endereço comercial.

Feito isso, preencha o perfil do seu negócio. Faça upload de fotos nítidas de sua loja, insira seus próprios horários de funcionamento e insira seu número de telefone. Especialmente com horários de abertura alterados durante as férias, férias da empresa ou uma pandemia, essa simples ação poupa seus clientes de viagem inútil e, ao mesmo tempo, pode informá-los sobre algum meio de contato alternativo.

Se você já tem seu próprio site, você também pode indicar na sua ficha.

A conta do Google Meu Negócio oferece aos clientes um ponto de contato para avaliações e comentários. Sempre reaja rapidamente a um contato, leve seus clientes a sério e agradeça por elogios e críticas. Cada interação dá a você a chance de melhorar como empresa. Frequentemente, os clientes em potencial também decidirão se desejam visitar sua loja com base em sua aparência na coluna de comentários.

Dica 2: Publicidade online para empresas locais

Semelhante à entrada do Google Meu Negócio, anunciar na Internet também compensa para a maioria das empresas. Um bom começo para a publicidade online é o Google Ads. Na plataforma de publicidade você pode dar lances em determinados termos de pesquisa para que seja exibido na primeira ou na última posição na página de pesquisa para esse termo (essas são as posições mais importantes).

Para sua empresa local, é melhor dar um lance no nome de sua empresa, sua localização e o setor. Você pode descobrir quais outros termos são particularmente adequados no Google Ads. O que há de bom na publicidade online? Você não paga para ser exibido, apenas quando o usuário realmente clica no link do seu site (ou no URL que você está promovendo).

Porém, se você conseguir liberar algum orçamento, a melhor coisa a fazer é entrar em contato com uma agência de publicidade, porque agora existem tantos canais diferentes que é difícil para um iniciante escolher o mais eficaz.

Antes de fazer isso, no entanto, pense em quem será o público-alvo de sua publicidade. A propósito, ao definir o grupo-alvo você tem uma grande vantagem sobre a competição online. Porque, embora muitas vezes eles tenham que gastar muito tempo e dinheiro para determinar a qual grupo-alvo eles devem abordar melhor sua oferta, você já sabe, graças à sua base de clientes offline, quais clientes receberão sua oferta melhor. Portanto, você deve usar esses clientes para criar o grupo-alvo de sua publicidade online.

Essas perguntas podem ajudar:

  •   Qual a idade média dos seus clientes?
  •   Qual o sexo?
  •   Quanto dinheiro esses clientes gastam com você?
  •   Quais argumentos de vendas convencem os clientes e o que os assusta?
  •   Que problemas o seu produto ou serviço resolve?
  •   Quais sites este cliente visita?
  •   Você deseja alcançar apenas clientes locais ou deseja vender seus produtos online no futuro e depois enviá-los? Nacional ou internacional?

Assim que tiver as respostas para essas perguntas, você pode entrar em contato com uma agência de publicidade. Com isso, você pode elaborar uma estratégia de publicidade concreta, eles podem aconselhá-lo individualmente e encontrar a plataforma de publicidade certa para o seu público-alvo.

Dica 3: Vender online sim, não necessariamente ter seu próprio site

Se você deseja ter sucesso na Internet, deve pensar cuidadosamente sobre seu objetivo específico. Você quer apenas vender mais ou criar uma comunidade?

O objetivo da presença online: simplesmente vender mais

Se você deseja apenas aumentar o número de suas vendas, pode dispensar a configuração demorada de sua própria loja na web. Em vez disso, você pode se registrar em uma plataforma de revendedores.

Como varejista da Amazon, Mercado Livre ou Shopee, você se beneficia da base de clientes e do conhecimento dos gigantes online sem competir com eles nas classificações dos mecanismos de busca. As desvantagens são óbvias, no entanto, cada plataforma requer uma parcela do faturamento ou um tipo diferente de taxa, e você ainda compete com outros varejistas na plataforma escolhida.

Cuidado com a responsabilidade do produto

Como vendedor, você está sujeito aos regulamentos de responsabilidade do produto, tanto online quanto offline. Isso inclui a obrigação de garantia (geralmente 12 meses), que você já conhece da venda na loja. Mas tenha cuidado: é um erro perigoso dizer que a responsabilidade termina quando o item com defeito é substituído. Se um cliente sofrer danos materiais, ou pior, ferimentos pessoais, por causa de um produto defeituoso que você vendeu, isso também pode afetá-lo. Mesmo que você não seja o fabricante e não seja o culpado pelo defeito (a chamada responsabilidade objetiva).

Além disso, seus clientes compram online sem o seu conselho. Isso significa que você deve incluir todas as informações importantes sobre o produto no texto do produto ou chamar a atenção do cliente para elas antes de fazer uma compra.

O objetivo da presença online: Aumentar a autoridade da empresa

Quer ser encontrado na net, mas ainda precisa da sua loja física? Nesse caso, o seu próprio site sem uma loja na web conectada geralmente é suficiente. Muitas empresas usam uma página do Facebook para gerar novos negócios.

Página do Facebook em vez do seu próprio site

Aqueles que postam regularmente coisas interessantes podem rapidamente ganhar popularidade no Facebook. Se você também conectar seu site com grupos locais, também poderá alcançar clientes em sua área de influência direta.

Aliás, o Facebook ainda está vendo um número crescente de usuários, enquanto a idade de seus usuários está aumentando. Não é a pior notícia para os varejistas tradicionais, cujos clientes são, em média, mais velhos do que o comprador online médio.

Além disso, em uma pesquisa do Facebook IQ (pesquisa de mercado do próprio Facebook), 6 em cada 10 empresas locais disseram que sua presença online é importante para seu sucesso a longo prazo. Além disso, sua própria página no Facebook é gratuita, pode ser criada em poucos minutos e oferece a opção de solicitar aos clientes que realizem uma ação com um call to action (CTA).

Mas tenha cuidado: a página de negócios no Facebook também é o primeiro ponto de contato para clientes insatisfeitos e eles esperam uma solução para seu problema em poucas horas. Já que muitas pessoas adoram comentar no Facebook suas decepções na vida, você deve, portanto, verificar seu site várias vezes ao dia e responder imediatamente às perguntas.

Com uma página no Facebook, você também depende da plataforma que costuma ser criticada. Por exemplo, se a empresa decidir de um dia para o outro que sua página é inadequada, ela desaparece para outros usuários e só pode ser reativada por meio de um complexo processo de objeção.

Você também pode vender seus produtos no Instagram, há também uma função de compras, entre outras coisas você pode marcar seus produtos em um post ou história.

Conclusão

Com essas três dicas, você conseguirá rapidamente oferecer seus produtos também nos meios digitais. Qual dica foi mais importante para o seu negócio? Comente abaixo!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros Posts