Vantagens de ter um E-commerce em 2020

O ano nem chegou na metade, e você já pensa em se destacar no ano que vem. Quais tendências do e-commerce podem ser esperadas em 2020 e nos próximos anos? E quais vantagens posso esperar para meus negócios? Os desenvolvimentos vão desde uma experiência cada vez mais individual do cliente até a implementação concreta de realidade aumentada no momento das compras. Vamos falar sobre algumas inovações que mudarão o varejo online para sempre.

De acordo com estudos recentes, grandes desenvolvimentos nos aguardam no setor de e-commerce e afetam (quase) todos os países do mundo. Desde a introdução do 5G ao uso de inteligência artificial e gestão de estoque, o setor vive uma onda sem precedentes de inovações tecnológicas. Seja B2B ou B2C: é hora de passar para a era do varejo 3.0 e se preparar para as tendências de e-commerce nos próximos anos agora.

Quais tendências de comércio eletrônico podemos esperar em 2020 e nos próximos anos?

No setor de comércio eletrônico, é extremamente importante acompanhar os desenvolvimentos e tendências futuras. Prepare-se agora para o futuro empolgante do comércio eletrônico, implementando as tendências emergentes do comércio eletrônico em 2020.

  1. Realidade aumentada e realidade virtual como tendência do e-commerce em 2020

De acordo com o último estudo do Gartner , 100 milhões de consumidores usarão a realidade aumentada para fazer suas compras online e nas lojas nos próximos anos. A tecnologia de realidade aumentada permite que os compradores integrem produtos diretamente em seu ambiente futuro. Os produtos são quase fisicamente tangíveis e as compras são muito mais fáceis. Aqui estão alguns exemplos:

Sephora

Fundada em 1969, a Sephora é conhecida por sua excelente experiência do cliente. A marca recentemente começou a usar Realidade Aumentada com o Artista Virtual Sephora . Os clientes podem usá-lo para experimentar diferentes looks de maquiagem ou tirar fotos de roupas que funcionam como uma prova virtual.

IKEA

Com o IKEA Place , a IKEA lançou um aplicativo no mercado americano em 2018 que também usa realidade aumentada e permite que os usuários visualizem os móveis e acessórios em suas residências antes de comprar. Isso dá aos compradores uma ideia exata de como ficará seu ambiente. Os clientes não precisam mais tentar imaginar como seria um sofá em particular em sua sala de estar – eles podem ver isso de forma realista!

A realidade aumentada, portanto, será um grande trunfo no futuro e já deu grandes passos até hoje. A Realidade Aumentada é, portanto, certamente uma das tendências do e-commerce que terá uma influência decisiva nos próximos anos.

  1. Aprendizado de máquina e inteligência artificial

O aprendizado de máquina e a inteligência artificial já estão tendo um impacto significativo em muitas áreas de atividade. Os algoritmos utilizados permitem que um sistema controlado por computador, em certa medida, adapte suas análises e seu comportamento de acordo com a análise de dados de um banco de dados coletados ou de sensores.

Em termos simples, graças ao aprendizado de máquina, as lojas online, por exemplo, serão capazes de oferecer aos potenciais compradores uma melhor experiência do usuário com base nos dados disponíveis e no seu comportamento de compra. Estas são as guias “Recomendações” ou “Sugestões para você” que você pode encontrar em vários sites da Internet atualmente.

Aqui veremos mais desenvolvimentos que permitem uma experiência de compra cada vez mais pessoal e personalizada, o que só é possível em uma loja virtual atualizada. O aprendizado de máquina e a inteligência artificial são duas das tendências de comércio eletrônico de maior alcance nos próximos anos.

  1. Pesquisa de compra online e offline

Oito em cada 10 usuários de dispositivos móveis pesquisam para encontrar produtos específicos em lojas físicas e 18% compram o produto em 24 horas. Consultas online que levam a compras offline geram novos dados para avaliar a eficácia das campanhas digitais.

Com os vários pontos de contato observados hoje – dispositivos móveis, redes sociais, CRM, métodos de pagamento e sistemas de ponto de venda – a eficiência das campanhas digitais em 2020 será uma fonte de dados não desprezível para refinar a estratégia de vendas no ambiente digital, que só é possível tendo uma loja virtual própria.

  1. Comércio de voz e o impacto no comércio online

Vários estudos, incluindo um da ComsCore em particular, mostram que em 2020 mais de 50% das consultas de pesquisa serão pesquisas por voz. Com grandes assistentes virtuais, como Alexa da Amazon ou Google Home, agora também existem aplicativos simples no mercado que permitem que fornecedores terceirizados usem a tecnologia de reconhecimento de voz.

Os varejistas online podem entrar aqui e expandir suas lojas online com assistentes de voz inteligentes. Pedir uma pizza já é possível hoje simplesmente por comando de voz. Se preferir cozinhar você mesmo, pode mostrar as receitas e encomendar os ingredientes online.

Para empresas de médio porte, um assistente de voz ainda é um investimento muito grande, mas com cada vez mais provedores de serviços no mercado e um limite de inibição cada vez menor, o uso do reconhecimento de voz certamente será uma das grandes tendências que você pode usar em seu E-commerce.

  1. 5G e comércio móvel

Sites de comércio eletrônico eficientes são a base para o comércio online, não há dúvida sobre isso. Mas isso não é tudo. À medida que mais e mais usuários acessam lojas online em movimento, o comércio online tem que passar por uma mudança profunda. Aqui estão alguns números que refletem esse novo meio de pesquisa e compra:

Espantosos 38% de todas as transações em 2020 foram processadas a partir de um dispositivo móvel. Isso mostra claramente um ponto: muitos compradores online não apenas usam seus telefones celulares para processar transações, mas todo o funil, desde a decisão de compra até a compra, é geralmente móvel em uma extensão cada vez maior.

De acordo com o SearchEngineLand, quase 60% de todas as consultas do Google neste ano foram feitas em um dispositivo móvel. Os mecanismos de busca já aconselharam os varejistas on-line a tornar seus sites de comércio eletrônico mais amigáveis, mas são os aplicativos móveis que estão ganhando a corrida.

O 5G também deve estar cada vez mais disponível no Brasil nos próximos anos. A nova tecnologia abrirá inúmeras oportunidades para o setor de comércio eletrônico. Graças à velocidade de download mais rápida, o conteúdo de vídeo e a realidade aumentada podem ser oferecidos em uma escala sem precedentes. O e-commerce pode se tornar um verdadeiro centro comercial nos quais os compradores online podem olhar ao redor para encontrar os produtos que desejam. 5G e o comércio móvel – uma tendência do e-commerce que você definitivamente não deve perder!

  1. Chatbots

Os chatbots são uma tecnologia inteligente baseada em aprendizado de máquina. Os clientes conversam em um ambiente virtual usando um algoritmo em vez de uma pessoa real. Para o seu cliente isso não faz nenhuma diferença no início: as perguntas o guiam por um processo predeterminado e levam ao resultado desejado, como consultas de serviço ou busca de produtos. Via de regra, os chatbots são integrados ao Facebook como bots de mensagens e podem, assim, atuar como o primeiro ponto de contato com a empresa. Sephora, Ebay, SnapTravel, mas também H&M são alguns exemplos bem conhecidos de como os chatbots podem ser usados ​​para atrair (novos) clientes.

  1. Big data para ultra-personalização

45% de todos os compradores online prefeririam fazer o pedido em uma loja online que possa fazer recomendações personalizadas. E 56% dos compradores online fariam o pedido novamente em uma loja online que faz recomendações personalizadas. A Amazon já entendeu muito bem as oportunidades de personalização no e-commerce e dá inúmeras recomendações com base no comportamento de compra anterior de seus clientes online. Usando “Sua lista de desejos” ou “Sua coleção”, a Amazon oferece personalização abrangente aos compradores online.

Mas a personalização não termina aí. Graças ao Big Data, que analisa o comportamento das compras, são enviados diversos emails com ofertas à medida do perfil. Grandes quantidades de dados do cliente são processadas para alcançar a personalização adequada.

A start-up TinyClues apóia gigantes do comércio eletrônico na análise dos dados de seus visitantes para que campanhas de marketing possam ser criadas. Isso permite que as necessidades de seus clientes sejam atendidas em todo o processo de compra. Com um único objetivo: proporcionar ao usuário a melhor experiência possível.

  1. Comércio social

Hoje em dia, as pessoas passam várias horas na internet todos os dias. Grande parte desse tempo utiliza as redes sociais, por isso o tema ” comércio social” está se tornando cada vez mais importante. Cada vez mais as vendas acontecem em plataformas como Facebook, Instagram ou Pinterest. A escolha da plataforma de mídia social mais adequada para você depende naturalmente da sua gama de produtos.

O comércio social encurta a jornada de seus clientes (da primeira inspiração até a compra final) imensamente. O número de consumidores que desejam descobrir e comprar produtos por meio da mídia social aumentou significativamente recentemente – especialmente entre a geração do milênio e os nativos digitais. O conteúdo visual leva a uma experiência de compra ainda mais atraente, e o comércio social permite que os clientes encontrem tudo, desde a primeira inspiração até a compra final em um só lugar.

  1. Marketplaces vs. vendedores menores e únicos

Apesar do rápido crescimento do comércio social, os marketplaces online não devem ser ignorados: mais de 40% das compras online são feitas através dos marketplaces.

A Amazon, por exemplo, está prestes a capturar mais de 50% do total das vendas no varejo dos EUA . A empresa também tem uma grande presença em países como Grã-Bretanha, França e Alemanha e já se estabeleceu com sucesso em todo o mundo. Outros planos de expansão também estão pendentes. Como um mercado, a Amazon oferece a todos a oportunidade de vender online com sucesso. Esta é uma grande oportunidade para marcas de todos os portes.

  1. Direto ao consumidor (D2C)

Os mercados online são um negócio em expansão. Ao mesmo tempo, a proporção de “ direto para o consumidor ” (do fornecedor para o cliente) está aumentando constantemente.

A transparência está se tornando uma mercadoria cada vez mais importante e os clientes preferem fazer os pedidos online o mais facilmente possível. Portanto, o modelo D2C pode ser uma solução adequada para você.

Clientes, fornecedores e todo o setor de logística são igualmente afetados pela rota direta para o consumidor. Portanto, esta é uma tendência que não deve ser ignorada.

Uma equipe cuida do contato ideal com o cliente – importante tendência do comércio eletrônico em 2020

  1. Blockchain

O Blockchain é uma das tendências mais badaladas dos últimos anos e permite que os dados sejam criptografados com segurança sem a necessidade de um ponto de controle central. Como a tecnologia mais segura para bancos de dados até o momento, o blockchain tornou possível a conhecida criptomoeda Bitcoin. Muitas empresas estão pesquisando o campo do blockchain e não há dúvida de que a tecnologia é uma das grandes tendências do e-commerce de 2020.

Vantagens do blockchain:

  1. Segurança dos canais de pagamento;
  2. Processamento de dados rápido e eficiente;
  3. Aumento da velocidade das transações online;

Os varejistas online se beneficiam de uma maior confiança e podem oferecer mais transparência. As lojas online estão ficando mais rápidas, operando de forma mais tranquila e oferecendo aos clientes uma experiência de compra melhor.

  1. Métodos de pagamento (moedas virtuais)

Cerca de dez anos atrás, havia muito mais ceticismo no comércio online. Os clientes muitas vezes temiam a falta de segurança e, portanto, o risco de fraude. Mas isso parece diferente hoje. De acordo com a associação comercial, o número de compradores online (exclusivos) é de 56%, com 20% de todos os brasileiros comprando online de forma frequente. E quais métodos de pagamento os alemães preferem?

Na Alemanha, 28% das compras ainda são feitas por cartão, embora serviços de pagamento como Apple Pay, Walmart Pay, Samsung Pay ou Android Pay tenham apresentado crescimento positivo nos últimos meses. As carteiras digitais tornam as transações fáceis, rápidas e seguras graças ao Touch ID ou outras tecnologias.

Portanto, está claro que esses métodos de pagamento têm um futuro brilhante pela frente, especialmente no setor de comércio eletrônico. Por isso é importante sempre apontar os diferentes métodos de pagamento. Esta é a única maneira de um carrinho de compras exibir todas as opções atuais – e a loja online é pioneira.

Mas quais métodos de pagamento sua loja online deve oferecer?

Esta pergunta não pode ser respondida de maneira geral. É aconselhável primeiro obter uma visão geral dos sistemas de pagamento mais comuns no mercado online e avaliá-los após uma pesquisa completa.

É um fato que, com a introdução das moedas virtuais, um mundo totalmente novo está definitivamente se abrindo para o comércio online. Ainda não podemos prever como as tendências do comércio eletrônico serão afetadas nos próximos anos. Por exemplo, o Facebook anunciou que a empresa está trabalhando em uma criptomoeda para os usuários de seu aplicativo Whatsapp. Portanto, podemos esperar muitos novos desenvolvimentos no próximo ano.

  1. Mudança de opções de envio

Não apenas os centros de distribuição enfrentam dificuldades crescentes, as empresas de logística também se veem sob pressão crescente. A grande quantidade de embalagens que precisam ser transportadas obriga a novas medidas.

Para que os clientes façam pedidos na sua loja online, você deve oferecer várias opções de envio. Você pode oferecer para encerrar o pedido facilmente com vários provedores de remessa e opções de remessa na finalização da compra.

  1. Robotização no setor de logística

O rápido crescimento do setor de comércio eletrônico exige medidas adequadas dos diversos participantes. Para varejistas on-line e parceiros de atendimento eletrônico, a carga de trabalho aumenta, pois eles precisam fazer mais e mais pedidos prontos para despacho o mais rápido possível.

Além disso, é cada vez mais difícil encontrar novos funcionários. A robotização pode, portanto, representar uma solução. Uma série de pesquisas está sendo realizado em esta área e grandes somas de dinheiro estão sendo investidos em novas pesquisas.

Há muita experimentação com drones quando se trata de entrega de pacotes. A UPS já está autorizada a fazer entregas nos EUA usando drones . Quem sabe o que acontecerá nesta área no futuro?

  1. Passos para mais sustentabilidade

A Instinctif Partners conduziu recentemente um estudo de sustentabilidade. Verificou-se que o insucesso de decisões sustentáveis ​​para mais de 43% dos clientes se deve aos custos adicionais associados aos produtos ou serviços. Estas surgem, por exemplo, através de métodos de produção mais ecológicos ou seleção de materiais mais sustentáveis.

Mesmo que agora você provavelmente esteja com medo de perder clientes se tornar sua loja online mais sustentável: Sustentabilidade é uma das tendências mais importantes do comércio eletrônico nos próximos anos, que você não deve perder de vista e pode usar como diferencial competitivo.

  1. Feiras e conferências virtuais

Em retrospecto, nenhum tópico determinará 2020 tanto quanto a pandemia corona. Devido ao risco agudo de infecção, governos e órgãos oficiais em países estão atualmente ordenando o fechamento de lojas. Todas as empresas que não vendem produtos básicos estão enfrentando um desastre econômico. As lojas que mantêm uma loja online, além do comércio fixo, estão protegidas por enquanto.

Mas os varejistas online não estão totalmente imunes às consequências da crise corona no setor de comércio eletrônico.

Por exemplo, devido ao cancelamento da feira líder de comércio eletrônico Internet World Expo 2020 em Munique, as empresas do setor de comércio eletrônico estão perdendo uma variedade de oportunidades de networking com as quais poderiam construir uma rede lucrativa de parceiros. As empresas que desejam se expandir devem, portanto, buscar alternativas. Um e-commerce eficiente pode amenizar os danos.

Tendências de e-commerce em 2020 – Como usá-las para destacar minha empresa?

As próximas tendências de e-commerce para 2020 são diversas. Mas algumas tecnologias ainda estão no começo. Mas os desenvolvimentos na área de e-commerce estão acontecendo cada vez mais rápido e somente aqueles que observam as tendências atuais entendem os requisitos de amanhã.

Os varejistas online devem sempre colocar a facilidade de uso e o valor agregado para seus clientes acima das possibilidades tecnológicas, dessa forma, sairão na frente. Nós realmente precisamos de aplicativos de realidade aumentada que nos mostrem como uma panela de arroz ficará na cozinha? E será que, em algum momento, só pediremos pizza por meio de comércio de voz e pagaremos por ela com moedas criptográficas? Não sabemos o que o futuro trará, mas a maneira como fazemos compras certamente mudará fundamentalmente.

Magento ou WooCommerce: Qual é a melhor opção?

Somos regularmente questionados sobre qual é o melhor CMS (Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) para lojas virtuais. Esta pergunta não pode ser respondida facilmente, pois agora existem muitos CMS muito interessantes no mercado mundial. No entanto, existem dois sistemas que preferimos e que queremos comparar no artigo seguinte.

Estes são Magento e WooCommerce. Como você verá, há uma série de vantagens em ambos os sistemas de loja, que juntos somados possuem cerca de 35% dos sites de lojas existentes em todo o mundo em novembro de 2019.

Magento

Magento é uma das soluções de loja online mais famosas e foi lançado pela primeira vez no mercado em 2008. Em 2019, o Magento era usado em 1,3% de todos os sites em todo o mundo, tornando-o o software de loja online puro mais usado junto com o Shopify.

O CMS impressiona pela grande escalabilidade e, graças à arquitetura flexível do sistema, é ideal para lojas multilíngues com milhares de produtos para uma ampla variedade de regiões e comprimentos.

PayPal e outros provedores de pagamento podem ser facilmente conectados ao sistema de pagamento, sem precisar instalar extensões ou plug-ins. Desde a versão 2 do Magento (que, em comparação com a versão 1 do Magento, é mais ou menos como um CMS de comércio eletrônico completamente redesenhado), existem datas fixas de atualização trimestral que os desenvolvedores e agências podem interromper antecipadamente.

Magento 2 também possui compatibilidade de backend para dispositivos móveis (smartphones, tablets). Isso significa que você pode fazer login no CMS da sua loja em qualquer outro dispositivo e ajustar e alterar configurações e produtos. O back-end é geralmente estruturado de maneira clara e amigável de acordo com vários módulos de tópicos específicos.

As atualizações podem ser instaladas com pouco esforço, o que também se aplica a correções de bugs e patches de segurança. Em geral, há grande flexibilidade de implantação e a arquitetura modular do software permite ajustes extensivos ao sistema da loja sem alterar o núcleo do software. Extensões foram terceirizadas para módulos desde Magento 2. Portanto, é possível instalar atualizações do Magento sem sobrescrever alterações e extensões individuais.

Magento em relação a SEO

Magento também possui uma estrutura de programa amigável para fins de otimização de mecanismo de busca (SEO). Todos os recursos necessários para a otimização OnPage, como URLs falados, meta títulos, meta descrições e configurações para mapa do site XML, robots.txt e reescritas de URL, podem ser definidos e otimizados diretamente na visão geral do produto. Além disso, você pode inserir seu ID do Google Analytics diretamente no back-end e não precisa instalar um plug-in.

Uma grande comunidade de desenvolvedores também se formou em torno do Magento nos últimos nove anos. No Magento Connect, antes da transferência para o Magento Marketplace, havia mais de 6.500 extensões que cobriam até mesmo reivindicações e requisitos exóticos. No momento da coexistência com o Magento Connect com apenas 1.889 extensões, havia um número significativamente menor de extensões no Magento Marketplace.

Magento em relações a plug-ins

Existem plug-ins Magento que custam até 29.999 USD (módulos Connect para SAP, AX, NAV, Dynamics 365, GP). No entanto, muitos plug-ins úteis (e também inúteis) também estão disponíveis gratuitamente ou estão listados a um preço razoável (10-300 USD).

Existem plug-ins que aumentam o desempenho do CMS, por exemplo, Minify HTML / CSS / JS ou LazyLoader, que oferecem suporte direto aos clientes, mas também plug-ins que otimizam o processo de compra (por exemplo, One Step Check-out, pontos de recompensa). Em resumo, plugins estão disponíveis para todas as áreas de aplicação, que também são continuamente desenvolvidos e otimizados.

WooCommerce status do pedido e notificações de e-mail

WooCommerce

WooCommerce é um plugin para WordPress, o popular e líder mundial CMS WordPress foi expandido para incluir a funcionalidade de uma loja online. Segundo as estatísticas de comércio eletrônico, ele é usado por cerca de 25% dos maiores sites de comércio eletrônico. Portanto, em um quarto de todas as lojas da web em todo o mundo. Em termos absolutos, existem atualmente mais de 2,4 milhões de sites em todo o mundo que usam WooCommerce como seu CMS de loja.

Existe uma razão compreensível para isso. Porque WooCommerce é fácil de usar e para iniciantes. Qualquer pessoa que já trabalhou com o WordPress encontrará facilmente o WooCommerce, visto que ele é exibido diretamente na interface de usuário familiar. É totalmente gratuito e pode ser instalado e ativado normalmente na interface de administração do WordPress a partir dos plug-ins.

Instalação de plug-ins WooCommerce

As funções básicas são fornecidas com a instalação do plugin. Se você deseja expandir essas funcionalidades, deve instalar plug-ins ou extensões – como é normal no WordPress. Incontáveis ​​extensões (a maioria gratuitas) estão disponíveis para WooCommerce. Uma pesquisa na loja de extensões WooCommerce revela atualmente mais de 405 extensões para vários fins ou áreas de aplicação.

Isso inclui a criação automática de faturas em PDF e notas de entrega, a integração do PayPal (e outros provedores de pagamento), a integração de serviços de boletim informativo como MailChimp e muitas outras áreas úteis e práticas de aplicação.

Historicamente, o WooCommerce era a melhor escolha, acima de tudo, se você queria vender um número administrável de produtos em um mercado principal. No entanto, agora ele também oferece suporte a um número ilimitado de produtos. Se você deseja otimizar e desenvolver ainda mais sua instância WooCommerce, uma documentação abrangente e muitos tutoriais (também por exemplo no YouTube) estão disponíveis.

Plugins e extensões em WooCommerce

Em termos de provedores de pagamento, WooCommerce oferece atualmente suporte para os cartões de crédito mais populares (incluindo Mastercard, Visa, American Express), bem como PayPal e pré-pagamento.

Existem também mais de 140 gateways e interfaces específicos de região que podem ser integrados ao WooCommerce, incluindo provedores cada vez mais populares, como Stripe ou Amazon Payments. As extensões mais populares (e mais úteis) também são continuamente selecionadas e atualizadas diretamente no site.

Extensões WooCommerce

Do ponto de vista técnico , o WooCommerce oferece suporte SSL como padrão , o que significa que os clientes em potencial podem comprar com segurança por meio de uma página HTTPS.

Com a API REST embutida, o WooCommerce também pode ser integrado a qualquer serviço. Os dados da loja podem, portanto, ser acessados ​​de qualquer lugar e a qualquer hora com 100% de segurança.

Escolha do autor

Se tivéssemos que nos comprometer e fazer uma recomendação para um dos dois sistemas de comércio eletrônico, seria o seguinte: WooCommerce é (atualmente) ideal para iniciantes em comércio eletrônico e empresas menores, Magento, por outro lado, para PMEs mais exigentes tecnicamente e empresas internacionais que queiram vender seus produtos em uma loja virtual multilíngue e em diferentes países.

No entanto, os limites estão se tornando cada vez mais confusos, já que o WooCommerce agora também tem uma grande capacidade de expansão e escalabilidade do sistema. Portanto, é basicamente uma questão de gosto de qual loja CMS você escolherá.

Wix ou WordPress – Qual é a melhor plataforma para o meu site?

Wix e WordPress são duas plataformas populares de sites, mas são muito diferentes uma da outra. Saiba mais sobre as diferenças e qual plataforma de site é melhor para sua empresa neste post.

Esteja você apenas começando seu website comercial ou já tenha um e esteja considerando outra opção agora, é importante garantir que seu site seja o mais profissional possível. Da aparência às características e à facilidade de uso, tudo tem que ser levantado. Quando algo dá errado em seu site, você corre o risco de afastar clientes e levá-los aos concorrentes.

Existem dois grandes nomes no mundo da criação de sites corporativos: WordPress e Wix. Essas duas plataformas são muito discutidas juntas, mas diferem em alguns aspectos.

Neste post, vamos dar uma olhada em qual plataforma é melhor para as empresas e como elas atuam em termos de usabilidade e recursos.

O que você precisa saber sobre o Wix

Wix é uma empresa com sede em Israel que existe desde 2006. Foi fundada porque os proprietários perceberam que criar seu próprio site é um trabalho árduo. Eles queriam oferecer às pessoas uma maneira fácil e gratuita de criar um site. E construir um site no Wix é fácil, você não precisa conhecer nada de programação nem ter habilidades superiores ou experiência com design.

O Wix também é gratuito para usar. Se você deseja fazer um upgrade, pode investir nos chamados “planos” que permitem que você se junte ao seu próprio domínio, remova anúncios Wix e muito mais. Existem atualmente mais de 120 milhões de usuários do Wix em mais de 190 países. Estima-se que cerca de 45.000 novos usuários Wix se inscrevem todos os dias.

Existem também atualmente mais de 30 milhões de sites móveis usando Wix. Estatísticas como essas mostram que o Wix sempre está procurando melhorar, para expandir sua oferta devido ao número crescente de usuários.

O Wix é realmente fácil de usar. Wix usa o método de arrastar e soltar para ajudar a construir seu site e permite que você comece a editar em uma interface WYSI / SYG. Você não precisa ter nenhuma habilidade de codificação para criar seu site ou fazer alterações. O Wix também oferece suporte ao cliente por telefone, chat e e-mail, caso você tenha problemas.

Existem mais de 500 modelos predefinidos para escolher, mas é melhor confiar na sua decisão. Depois de selecionar um modelo, você não pode mais alterá-lo. Você pode personalizar seu modelo, mas não pode mudar para um design diferente sem começar do zero. Você leu certo, depois de escolher seu design, é preciso continuar com ele, a menos que queira começar com um novo modelo.

Benefícios do Wix

  • Grátis
  • O designer de arrastar e soltar faz com que todos possam montar um site facilmente
  • Nenhuma habilidade de programação ou design é necessária
  • Pacotes de comércio eletrônico estão disponíveis (por uma taxa mensal acessível)

Contras do Wix

  • Um nome de domínio personalizado está disponível apenas com um plano pago. O endereço do seu site Wix gratuito será formando por username.wixsite.com/siteaddress. Esse endereço é difícil de lembrar (para você e seus visitantes) e também parece extremamente pouco profissional.
  • Se você tiver um plano gratuito, o Wix colocará anúncios extras em seu site.
  • Embora você possa personalizar o modelo escolhido, não pode alterar um modelo sem perder tudo o que adicionou anteriormente ao seu site.
  • O Google Analytics não está disponível no plano gratuito, o que significa que você não pode ver de onde seu tráfego está vindo (ou se algum tráfego está vindo de seu site)

Como você pode ver, o Wix é gratuito e fácil de usar, mas tem limitações severas. Se você deseja usar seu site para fins comerciais, o Wix provavelmente não é sua melhor opção.

O que você precisa saber sobre o WordPress

WordPress é uma potência real quando se trata de sites. Ele movimenta cerca de 26% da Internet com 50.000 novos sites WordPress publicados diariamente. O WordPress existe desde 2003, um pouco mais que o Wix. O WordPress foi criado porque um software de blog existente foi descontinuado pelos principais desenvolvedores. Ele foi aprimorado várias vezes ao longo dos anos para chegar onde está hoje.

Muitas empresas escolhem o WordPress porque é fácil de configurar, gerenciar e atualizar. A configuração leva apenas 20 minutos e você pode começar imediatamente. WordPress também é compatível com SEO e tende a ter uma classificação mais alta no Google e no Bing do que em sites que não usam WordPress. Isso é fundamental para o seu negócio, pois você deseja obter uma classificação mais elevada para superar a concorrência.

O WordPress é também muito fácil de usar: o WordPress em si não tem uma opção de arrastar e soltar, mas é fácil de criar novas páginas e conteúdo. O customizar de tema facilita a edição das propriedades do seu tema em uma configuração WYSI / WYG. Com tantos temas para escolher, personalizar seu site é muito fácil e você pode até construir um site personalizado em cima do WordPress. (E você pode ajustar o seu tema até gostar da estrutura da página).

Recursos: Quando se trata de recursos do WordPress, muitos proprietários de empresas gostam da ampla variedade de plug-ins e integrações.

Wordpress

Vantagens do WordPress

  • O WordPress é gratuito para usar e há centenas de temas gratuitos que permitem que você crie seu site sem custos iniciais. (Observação: os domínios não estão incluídos e serão cobrados adicionalmente.)
  • O Sistema de Gerenciamento de Conteúdo (CMS) WordPress é fácil de usar.
  • Seu site será totalmente personalizável usando milhares de temas disponíveis, ou você pode criar o seu próprio.
  • Os sites WordPress são construídos com SEO em mente. Enquanto o Wix é deficiente em SEO, o WordPress é conhecido por dar a você controle total sobre os elementos que mais afetam o SEO.
  • Você pode facilmente converter seu site em uma loja online com WooCommerce.
  • A biblioteca de plugins cobre todas as funções que sua empresa pode precisar.

Desvantagens do WordPress

  • Personalizar seu site requer um pouco de conhecimento técnico.
  • Existem atualizações regulares que você precisa instalar. Ignorar atualizações pode deixar seu site vulnerável e afetar sua funcionalidade.

Embora o WordPress tenha suas limitações, as vantagens superam as desvantagens.

Conclusão: Qual é o melhor para o site da minha empresa?

Embora o Wix tenha o recurso de arrastar e soltar para criar e editar seu site, as opções ainda são limitadas. O WordPress oferece mais recursos, opções de aplicativos e plug-ins e você tem a liberdade de fazer alterações em seu modelo como quiser, sem ter que começar de novo.

Quando se trata de preços, o Wix pode oferecer opções gratuitas, mas muitos proprietários de empresas não gostam de outros anúncios em seus sites. E a URL gratuita que o Wix oferece no pacote gratuito é difícil de lembrar e ruim para os negócios. O WordPress, por outro lado, não exibirá anúncios no seu site, embora você tenha que pagar pelo seu nome de domínio personalizado e host da web.

Os custos de seu nome de domínio e hospedagem dependem de muitos fatores (com qual provedor de hospedagem você está e quanto custa o domínio). Comprar um domínio personalizado e hospedá-lo de terceiros provavelmente é mais barato do que pagar mensalmente pelo Wix a longo prazo. E quando você considera as limitações do Wix, provavelmente é melhor gastar seu dinheiro no domínio e na hospedagem do seu site WordPress!

Como criar cupom de desconto no Woocommerce

Como criar cupom de desconto no Woocommerce

Uma estratégia muito boa para “fisgar” seu usuário na etapa de decisão da compra em sua loja virtual é utilizando cupons de desconto oferecendo vantagens como porcentagem de desconto, desconto fixo, frete grátis ou até mesmo um combo de todas essas opções.

Neste tutorial irei ensinar como criar cupons de desconto no Woocommerce

1. Acessando o menu de cupons

Em seu painel administrativo do WordPress vá até o menu WooCommerce > Cupons, é neste menu onde você gerencia todos os cupons ativos, quantidade de cupons utilizados, data de validade dos cupons e criação de novos cupons.

2. Página de cupons

Acessando o menu de cupons você irá na página de listagem de cupons, neste menu você consegue visualizar todos os cupons ativos, um resumo de suas opções e a opção de criar novos cupons.

Os resumos das informações são referentes a:

  • 1 – Código: É o código de cupom utilizado pelo cliente de sua loja virtual para conseguir a vantagem oferecida pelo cupom
  • 2 – Tipo de cupom: Informa o tipo de cupom que pode variar entre desconto em porcentagem, fixo de valor de carrinho e fixo de valor de produto
  • 3 – Valor do cupom: O valor aplicado ao desconto do cupom, pode ser um valor fixo ou porcentagem
  • 4 – Descrição: Neste campo é listada a descrição do cupom, que pode ser utilizada para informar ao que se refere o cupom ou desconto em questão
  • 5 – Uso/Limite: Informa quantas vezes o cupom foi utilizado e caso ele tenha um limite de utilizações ilustra ao lado o valor deste limite
  • 6 – Data de validade: Alerta quando o cupom deixará de ser funcional
  • 7 – Adicionar Cupom: Inicia a criação de um novo cupom

3. Criando um novo cupom

Para criar um novo cupom você precisar clicar no botão “Adicionar Cupom”, você será direcionado à página de Adição de novo cupom.

Nesta página são realizadas todas as configurações do cupom de desconto através do menus e campos listados.

Código do cupom: Preencha aqui com o código que será utilizado pelo cliente para conseguir o desconto oferecido em sua loja, este é o código que será utilizado na finalização da compra e será divulgado para seus clientes. Você pode utilizar códigos de cupom criativos e intuitivos NATAL2020, FRETEGRATIS, PROMOLOJA, MEUDESCONTO, entre outros… Use sua criatividade para criar códigos legais.

Descrição: Este item é opcional e só pode ser visualizado pelo administrador do site, você pode descrever para que serve este cupom, onde ele está sendo divulgado ou alguma informação que você julgue relevante.

Dados do Cupom – Geral:
Nesta seção você irá configurar as regras gerais de seu cupom.

Tipo de desconto: Escolha qual o tipo de desconto será aplicado quando este cupom for utilizado, existem 3 opções:

  • desconto em porcentagem: define uma porcentagem de desconto no total do pedido. Por exemplo, se o carrinho estiver com 3 camisas no valor de R$20,00 cada = R$60,00, um cupom de 10% aplicará um desconto de R$6,00
  • desconto fixo no carrinho: define um valor fixo de desconto no valor total do carrinho. Por exemplo, se o carrinho estiver com 3 camisas no valor de R$20,00 cada = R$60,00, o cupom de R$5 dará um desconto de R$5
  • desconto fixo no produto: define um valor fixo de desconto em um produto específico. É necessário inserir quais produtos se aplicam na aba Restrição de Uso. Por exemplo, se o carrinho estiver com 3 camisas no valor de R$20,00, o cupom deste tipo no valor de R$10, aplicará um desconto de R$30 (R$10 para cada produto)

Valor do cupom: Defina qual será o valor em reais ou porcentagem que será descontado na utilização do cupom.

Permitir frete grátis: Marque esta caixa caso queira aplicar frete grátis quando o usuário utilizar o cupom. Caso queira um cupom apenas de frete grátis deixe o campo de Valor do Cupom definido como 0.

Data de expiração do cupom: Defina até quando este cupom pode ser utilizado.

Dados do Cupom – Restrições de uso:
Controle onde e como seu cupom pode ser utilizado, você pode definir parâmetros bem específicos de acordo com cada necessidades.

Gasto Mínimo: Este campo permite que você defina um valor mínimo necessário no total do carrinho para que o usuário possa utilizar o cupom.

Gasto Máximo: Este campo permite que você defina um valor máximo no total do carrinho para que o usuário possa utilizar o cupom.

Uso Individual apenas: Marque esta opção caso este cupom possa ser utilizado apenas sozinho, sem a opção de utilizar vários cupons em uma mesma finalização de pedido.

Excluir itens em Oferta: Caso você possua itens em oferta na sua loja esta opção bloqueia a utilização do cupom nestes produtos, afinal eles já estão em oferta e possuem um desconto aplicado.

Produtos/Categorias: Produtos/Categorias que o cupom será aplicado, ou que precisam estar no carrinho para que o “Desconto fixo de carrinho” seja aplicado

Excluir Produtos/Categorias: Produtos/Categorias que o cupom não será aplicado, ou que precisam estar no carrinho para que o “Desconto fixo de carrinho” seja aplicado

E-mail permitidos: Permita e-mails de cobrança para serem verificados ao fazer um pedido. Separe os e-mails utilizando vírgulas. Você também pode usar um asterisco () para corresponder com partes de um e-mail. Por exemplo “@gmail.com” irá corresponder com todos os endereços de e-mail no Gmail.

Dados do Cupom – Limites de uso:
Limite as utilizações e aplicações do cupom de desconto em seu WordPress.

Limitar uso por cupom: Quantas vezes o cupom pode ser utilizado antes de expirar. É interessante para campanhas como: “Os 100 primeiros que utilizarem ganham desconto”.

Limitar o uso para X itens: Número máximo de itens individuais aos quais este cupom poderá ser aplicado quando o usuário o utilizar. Deixe em branco caso queira que o cupom seja aplicado a todos os itens no carrinho.

Limite de uso por cliente: Quantas vezes o cupom pode ser usado por um mesmo cliente.

Publicando

Após realizar todas as confgurações necessárias em seu cupom basta publicá-lo e divulgar para todos os seus clientes. Esse cupom pode ser compartilhado em redes sociais, adicionado em banners da loja, impresso em panfletos, disposto em popup, enviado por e-mail ou qualuer outra mídia de comunicação que você tenha com seu público.

Viu como é simples criar cupons de desconto para seu site? Basta seguir esses passos que não tem erro.

Se tiver alguma dúvida comente aqui embaixo que ajudamos você.

WooCommerce status do pedido e notificações de e-mail

WooCommerce status do pedido e notificações de e-mail

Ter uma loja virtual nos dias de hoje é um ponto muito importante para comércio atual. Cada vez mais lojas tem integrado o serviço online a suas estratégias de venda e, muitas empresas tem optado somente pelo espaço virtual. O Woocommerce é um plugin desenvolvido pelo WordPress especificamente para ecommerce, com vários recursos para facilitar o gerenciamento da loja virtual e suas funcionalidades em relação a compra online.

Seja no virtual ou na loja física, toda compra tem um processo de pagamento. No comércio virtual, o pedido passa por alguns níveis até que o produto chegue a mão do comprador. De uma forma geral e simplificada, o percurso de uma compra eletrônica se dá assim:

  • Você faz seu pedido (escolhendo o produto e a forma de pagamento);
  • Seu pedido é recebido;
  • Pagamento é aprovado;
  • O produto é faturado e processado (ou seja: retirado do estoque e embalado e enviado);
  • Pedido é concluído.

Vamos conhecer cada status do pedido do Woocommerce da sua loja virtual.

nomenclatura dos status podem gerar algumas confusões. Por isso, é necessário a total atenção a cada um deles. Por mais que possam ser similares, cada status se enquadra em situações específicas e distinguir entre um e outro é fundamental.

Abaixo segue o status do pedido do WooCommerce e ao que se referem cada um:

Pagamento Pendente:

O pagamento não foi iniciado, porém o pedido foi recebido com sucesso. Ou seja: a loja está ciente da sua encomenda, mas o pagamento ainda não foi efetuado.

Aguardando:

Quando este status aparece quer dizer que o pagamento está sendo aguardado. Ou seja: o pedido foi recebido, porém, o pagamento está na espera, ainda não foi feito. O produto já fica reservado no estoque para o cliente até a realização do pagamento, esse processo passar rápido na transação do cartão e pode demorar no boleto e deposito bancário

Processando:

Nesta etapa a parte do cliente já está feita e agora é com a loja. Isto quer dizer que o pagamento foi aprovado e o pedido está sendo finalizado. É neste momento que o produto é processado, faturado e encaminhado para expedição ou seja, correios, transportadora, táxi ou motoboy.

Concluído:

Pedido finalizado e concluído.

Mal Sucedido:

Neste caso, o pagamento não foi efetuado ou foi recusado. Vale ressaltar que muitas vezes este status pode não aparecer de imediato e sim, como pendente esperando ser verificado.

Cancelado:

O pedido foi cancelado ou pelo cliente ou pelo administrador da loja.

Reembolsado:

Significa que o reembolso foi feito pelo administrador da loja.

Notificações do e-mail

Agora que cada status do pedido está claro, será mais fácil entender as notificações do e-mail que o sistema envia para cada ação efetuada pelo cliente e este é um recurso do WooCommerce para deixar o cliente ciente de todas as etapas que seu pedido.

  • Novo pedido: quando o pedido é gerado na loja virtual;
  • Pedido cancelado: quando o status do pedido é alterado para cancelado;
  • Processando pedido: assim que o pedido teve o pagamento aprovado, o status é alterado para processando e o cliente é informado;
  • Pedido concluído: o pedido completo é enviado para o cliente. Neste caso, o pedido já é marcado pela loja como concluído, e geralmente indica que o pedido foi enviado;
  • Pedido reembolso: quando existe alguma situação de reembolso, o alerta por e-mail informa quando a loja fez o depósito;
  • Fatura do cliente: é enviado para o cliente contendo as informações do pedido e links para pagamento;
  • Nota do Cliente: assim que o administrador da loja adicionar uma nota ao pedido, o e-mail é emitido alertando o cliente;
  • Redefinir senha: enviado ao cliente para redefinir sua senha de uso;
  • Nova conta: é enviado para o cliente quando ele se cadastra na finalização do pedido ou na página da conta;
  • Código de Rastreamento: quando configurado um código de rastreamento dentro de um pedido.

Tenho Instagram e Facebook, por que preciso de um site profissional?

Tenho Instagram e Facebook, por que preciso de um site profissional?

Algumas pessoas acreditam que ter um site profissional é desnecessário depois do surgimento das redes sociais. Esse é um pensamento no mínimo equivocado. O seu site é o seu negócio virtual onde você colocará todos os aspectos e transmitirá os fundamentos do seu negócio, além de armazenar todos seu conteúdo em um único lugar. 

Nesse posts irei lhe mostrar alguns motivos para você ter um site profissional para o seu negócio!

O Facebook e o Instagram não são seus!

O principal ponto pelo qual você não pode colocar as redes sociais como o pilar principal da sua estratégia digital é que o Instagram e o Facebook NÃO é seu. As redes sociais e o site devem trabalhar juntos para ter um resultado mais eficaz.

As redes sociais é uma das ferramentas para gerar tráfego para o seu site, seja ele orgânico ou pago com o Facebook Ads, Instagram Ads e não do site para a rede social.

Todos nós sabemos o que aconteceu com Orkut e outras redes que acabaram ou tá quase morrendo como o Snapchat. Facebook por exemplo, hoje em dia, já não se consegue resultados tão bons (ou quase resultado nenhum) no orgânico, somente fazendo investimento em anúncios pagos. 

O Instagram, tem diminuído cada vez mais o alcance de páginas comerciais. Simplesmente porque o objetivo de ambas é a interação pessoa x pessoa e não pessoa x empresa. Nessas redes sociais você tem que ficar sujeito às regras das mídias e não pode atualizar ou fazer algo diferente por causa da limitação que eles determinam. O site é do seu negócio! E nele você dita as regras de como vai funcionar.

Você já entrou no Facebook ou no Instagram procurando algo para comprar?

Aí você pode está pensando o Facebook tem Marketplace, mas a primeira coisas que fazemos é procurar no Google e o seu cliente também irá fazer isso e não buscar nas redes sociais e quando ele faz isso e você não tem um site profissional, é simplesmente impossível ele te achar só pelas redes sociais. 

Você pode está se perguntando “Mas quando meu cliente digita o nome do meu negócio no Google, o meu perfil aparece na busca!”. Ok, aparece, mas todos os possíveis clientes do seu negócio já conhecem você? Acredito que não.

Com uma  estratégia que envolva mídias sociais (orgânica e paga) e Google Ads com um trabalho orgânico (SEO) com o seu site, esse conjunto funcionará muito melhor e terá grandes resultados. 

Armazenamento de Conteúdo

As informações nas mídias sociais são muitos dinâmicas e passam muito rápido. Como seu cliente não faz pesquisas de conteúdo nas mídias sociais, você precisa alcançá-lo no momento um conteúdo que ainda permaneça disponível para ser encontrado. 

Já no seu site o próprio terá uma barra de pesquisa e até categorias para você navegar e buscar pelo conteúdo que deseja de uma forma mais organizado e que ficará a vida toda armazenado no seu site.

Seja referência no assunto e crie sua Autoridade!

As mídias sociais é uma ótima ferramenta de auxílio na criação de autoridade, só que é no seu site que a mágica acontecerá de verdade. Com criação de conteúdos ricos como dicas e tutoriais que ajudarão o seu público isso tornará você uma referência no assunto. 

Além do mais, por meio da criação de conteúdo você consegue provar para o seu público que entende do assunto e que tem capacidade técnica para ser a solução dos problemas que ela enfrenta. É um diferencial bastante eficiente nessa tomada de decisão.

Pra ser profissional, tem que está profissional!

Você não pode sair criando um site em qualquer ferramenta online gratuita, com um design sem presença e faltando informações necessárias. A criação de um site profissional bem feito, com todas as informações sobre o profissional e o trabalho que ele executa, além de um portfólio e depoimentos de clientes e com um blog onde terá dicas e compartilhamento de conteúdos relevantes sobre o seu negócio o seu site mostrará para o público mais credibilidade e confiança para fechar um negócio.

A criação de perfil nas redes sociais e a criação de um site profissional são estratégias de marketing digital que se complementam. 

Ambas são muito importantes e cada uma tem seu momento certo no marketing do seu negócio, seja para posicionamento de marca ou para surgir como resultado de buscas por seu cliente. E com isso a Enium pode ajudar a criar o seu site profissional e ter muito mais resultados na internet. 

Qual a diferença entre WordPress.com e WordPress.org?

Wordpress

Caso você esteja minimamente familiarizado com o mundo da internet, em algum momento você com certeza já ouviu falar a respeito do WordPress, não é mesmo?

O mesmo tem grande destaque quando falamos sobre sites e blogs, sendo muito útil para os mais diversos tipos de projeto e empreendimentos.

Contudo, pouco gente sabe ou repara, mas existe no mercado dois tipos: o WordPress.com e o WordPress.org.

Se você não sabia disso ou sabia, mas nunca entendeu muito bem a diferença, continue lendo esse texto e tire de uma vez por todas as suas dúvidas.

Afinal, o que é o WordPress?

Conferindo mais autonomia para usuário do que as redes sociais, o WordPress é, entre outras coisas, um espaço excelente para a publicação de todo tipo de conteúdo.

Assim, desde 2003, ele vem se consolidando como um dos maiores sistemas de gerenciamento de dados disponíveis, sendo ideal para a criação de sites e blogs.

Em vista disso, ele acabou atraindo igualmente um público e profissionais das mais diversas áreas, permitindo que os mesmos estabeleçam uma comunicação mais prática e segura.

Nesse sentido, o mesmo chama muito a atenção de quem busca empreender na internet, pois ele pode apresentar m e o WordPress.org, pois os mesmos funcionam de formas distintas.

Que tal conhecermos eles um pouco melhor?

As diferenças básicas entre o WordPress.com e o WordPress.org

De modo geral, o que se precisa ter em mente é que esses dois itens apresentam seus prós e contras e o motivo para a utilização de cada um vai depender especialmente dos seus objetivos.

Dito isso, basicamente, o WordPress.com é um serviço online gratuito cujo o acesso é permitido para qualquer puma série de benefícios nesse sentido.

É, então, a partir desse momento que identificamos a necessidade de entender a diferença entre o WordPress.com e que a pessoa queira utilizá-lo, como mencionado anteriormente, para a criação de um site ou blog.

Usando os próprios serviços da empresa, a grande vantagem é que você não precisa contratar um serviço de hospedagem, de modo que a sua aplicação é mais imediata, mas implica em uma série de restrições.

Por sua vez, o WordPress.org, apesar de ser igualmente gratuito, é muito mais amplo, dando ainda mais liberdade pro usuário.

Entretanto, ele demanda um serviço de hospedagem, sendo possivelmente esse o primeiro ponto de divergência entre os dois.

Nesse sentido, o preço desse tipo de de serviço pode variar de acordo com fatores como o tráfego que você espera receber e se o mesmo será compartilhado com outros usuários ou não, por exemplo, sendo um tipo inicial de investimento.

Mas o que isso significa?

De modo geral, isso implica no fato de que os usuários do WordPress.org tem acesso a um número de ferramentas muito maior em relação aos usuários do WordPress.com. Veja algumas delas:

  • Análises:

Enquanto no WordPress.com você fica preso às análises proporcionadas pela plataforma, no WordPress.org você pode utilzar aquela que julgar mais conveniente, como o Google Analytics, que é uma das maiores referências nesse assunto.

Espera-se com isso poder criar campanhas e estratégias de marketing digital mais consistentes e que gerem melhores resultados.

  • Monetização:

No que diz respeito à monetização, o WordPress.com tem uma série de restrições, entre elas, ter ao menos 25.000 visualizações por mês em sua página, além de dividir os lucros.

Enquanto isso, na outra opção, você tem autonomia para administrar isso da maneira que desejar.

Logo, em relação ao primeiro caso, isso pode ser um impeditivo muito sério se você deseja em criar um site ou blog para vender os seus produtos ou serviços dentro desse espaço.

  • Plugins:

A quantidade de plugins, que são aqueles recursos que visam aumentar a funcionalidade de seu endereço eletrônico, também é diferente em cada um dos dois.

No WordPress.com, assim, não é permitido a utilização dessa ferramenta, enquanto no WordPress.org a instalação dos mesmos é absolutamente livre.

Logo, parece muito mais interessante, caso você deseje de fato empreender através do WordPress, utilizar o WordPress.org devido às vantagens que o mesmo proporciona. Vale a pena conferir!

Se você gostou desse tema e deseja saber mais a respeito, não deixe de conferir também nossas outras publicações!

Mitos e Verdades sobre a Hospedagem de Sites

O número de sites na internet não para de crescer e, com eles, temos muitas opções de hospedagem hoje no mercado.

Diante dessa enorme variedade, ter um bom conhecimento acerca desse tipo de serviço é uma prerrogativa básica para que se possa fazer uma boa escolha.

Pensando nisso, apresentamos agora um conteúdo especial sobre o assunto, a fim de sanar algumas das principais dúvidas.

Mitos e verdades sobre hospedagem de Sites: Os Mitos

O primeiro é referente ao uptime, ou seja, à disponibilidade de um servidor para seus usuários ou administradores. Se um serviço garante 100% de uptime, devemos desconfiar.

Isso porque é quase impossível que um servidor possa ficar todo o tempo disponível, ininterruptamente. Falhas ou reinicializações devem ocorrer.

No entanto, pode-se garantir, a depender da qualidade do serviço, garantia de disponibilidade de quase 100%.

O segundo diz respeito à qualidade e capacidade dos serviços gratuitos disponíveis na internet.

Essa opção é a preferida entre iniciantes de pessoas que mantém websites de uso pessoal.

No entanto, não é uma boa escolha para negócios ou para pessoas que utilizam de suas páginas como ferramentas de crescimento profissional.

Isso por que os planos gratuitos têm funcionalidades muito restritas. Assim, podem impedir o atendimento das necessidades do administrador na medida em que elas crescem.

Além das limitações, uma hospedagem gratuita pode impossibilitar a migração do website de um servidor para outro.

Em terceiro lugar, temos o que se diz sobre o espaço em disco. Muitas empresas, com o intuito de chamar a atenção para seus serviços, oferecem espaço ilimitado. No entanto, esse espaço não é infinito.

É possível sim, todavia, conseguir bons serviços com espaço em disco bastante generosos.

Em quarto lugar, devemos falar sobre as expectativas em relação ao suporte técnico. É importante se ter em vista que esse serviço não cobre problemas relacionados ao desenvolvimento do website.

Algumas verdades sobre esses serviços de hospedagem

Em primeiro lugar, devemos salientar um ponto muito importante: é possível, sim, a qualquer um a criação de páginas.

Não se trata mais de uma capacidade exclusiva de programadores. Atualmente, pode-se escolher entre programas como o WordPress ou sites inteiramente dedicados à criação de páginas online, como a Wix.

Por meio desses recursos extremamente intuitivos, o usuário pode criar seu próprio website sem maiores complicações.

Em alguns casos, o serviço de hospedagem dos arquivos da página está inclusa no plano do serviço de criação.

Um segundo ponto a ser confirmado é a existência de migração gratuita para servidores. Alguns planos disponíveis oferecem a realização do processo gratuitamente.

Uma terceira variável deve ser observada: a segurança. De fato, um website seguro é de fundamental importância para inspirar confiança no visitante.

Para isso, a instalação de uma certificação SSL é fundamental, na medida em que esta se utiliza de criptografia para disfarçar as informações do visitante.

Com isso, torna-se mais difícil o acesso de terceiros mal intencionados a esses mesmos dados.

É importante salientar que a Certificação SSL é utilizada juntamente com o protocolo HTTPS, o qual acrescenta um nível de proteção de informações entre usuário e servidor.

Por fim, devemos atestar que a hospedagem SSD, de fato, torna um site mais veloz. Isso ocorre por que esse tipo de serviço não se utiliza de mídias físicas.

Atenção às suas necessidades 

Para concluir, é importante levar todos os pontos levantados acima considerando suas expectativas em relação a seu website.

Se você é um profissional liberal ou um empreendedor, procure por serviços de hospedagem com planos mais flexíveis, que permitam que sua página cresça com sua atividade. Atente para os mitos e verdades que indicamos!

Gostou do conteúdo ou tem alguma contribuição a oferecer? Tem alguma experiência com esses serviços? Conte-nos!

Entenda quando você deve reformar o seu site

São muitas as dúvidas que podem surgir da necessidade de se reformar um site. Essa dificuldade pode advir da falta de clareza em relação a objetivos.

Sabemos o quanto a presença de uma marca na internet pode impactar no crescimento de uma empresa. No entanto, é necessário saber explorar os elementos que podem trazer resultados concretos.

Pensando nisso, elencamos alguns pontos fundamentais a serem observados a fim de verificar se seu negócio tem uma presença assertiva na internet. Acompanhe!

Aparência ou Usabilidade? Sobre o que se deve reformar em um Site

Na busca por uma melhoria que venha a tornar seu website uma ferramenta de ganhos reais, tenha em vista que não basta focar somente na aparência.

O visual é importante, claro. No entanto, uma boa estética que proporcione uma experiência ruim aos usuários de nada vai adiantar.

Por isso, o design deve ser pensado de maneira a facilitar a utilização do visitante. Deve ser atraente, mas sem dificultar ou atrapalhar a navegação.

O principal, portanto, deve ser a experiência do usuário, conhecida também como UX.

Mas o que poderia tornar essa navegação mais agradável e intuitiva para o visitante?

Primeiramente, devemos ter em mente que, ao reformar um site, os produtos e serviços vendidos devem ser facilmente identificáveis e localizáveis. Para isso, temos três palavras-chave: clareza, objetividade e simplicidade.

Como uma boa opção para apresentação do que a empresa tem a oferecer, temos os sliders, que permitem uma visualização do negócio já na página de entrada.

Em segundo lugar, deve-se atentar para a responsividade, principalmente em dispositivos móveis, como tablets e celulares. Isso certamente deve demandar uma reconstrução do CSS/ HTML.

Sinais indicadores de que seu Website precisa ser melhorado

Um primeiro ponto a ser analisado é a visibilidade nas ferramentas de busca, principalmente nos resultados de pesquisas feitas no Google.

Pesquisas apontam que os cinco primeiros resultados recebem quase 70% de todos os cliques.

Em outras palavras, um bom rankeamento nas pesquisas orgânicas do Google pode abrir as portas para que seu negócio prospere muito.

Para melhorar esse aspecto na reforma do seu site, tente observar a aplicação de técnicas de SEO, como, por exemplo, a utilização adequada de palavras-chave.

O uso de links hospedados em outras páginas de negócios relacionados à sua empresa contribui da mesma forma para um bom rankeamento no Google. Link buildings também podem ser utilizados.

Não esqueça que um conteúdo relevante e original é uma prerrogativa básica para que seu website tenha mais visitas.

Um segundo ponto a ser levado em consideração na otimização de um website é a utilização de ferramentas que agreguem valor à página. Se seu site fez poucas ou nenhuma venda, é possível que não tenha esses recursos em sua estrutura.

Entre essas ferramentas podemos o chat e a captação de emails (em troca de produtos digitais, por exemplo) como as mais utilizadas.

Em terceiro lugar, podemos reforçar a importância de se ter um site otimizado para dispositivos móveis.

O ajuste no layout deve ser feito com vistas à adequação ao tamanho de tela de tablets e celulares.

Deve-se levar em consideração o grande contingente de pessoas que tem o celular como meio preferido de acesso à internet.

Para concluir: Atenção ao básico!

É sempre necessário que você tenha em mente que seu website é uma ferramenta a serviço de seu negócio. Utilize seus recursos sempre orientado por essa diretriz.

Sendo assim, ofereça a seu cliente a maior variedade possível de formas de pagamento e o maior número possível de informações sobre os produtos. Não esqueça de que o layout deve ser pensado de forma a possibilitar a melhor experiência ao usuário. Assim, você não terá problemas ao reformar seu site.

Nesse artigo, apresentamos algumas dicas de como você pode saber quando deve repensar seu website. Você tem alguma experiência de sucesso na melhoria da sua página? Compartilhe conosco!

Como identificar se seu site precisa de um redesign?

Para quem trabalha na web, um ponto que merece destaque sempre é a aparência de seu site e se o mesmo precisa ou não de um redesign.

Contudo, identificar os fatores que podem levar a isso talvez seja uma tarefa complicada, tendo que levar em consideração múltiplos fatores.

Pensando nisso, no texto a seguir, listamos os 4 principais motivos para você investir nessa estratégia, de modo que através deles você possa compreender se chegou a hora de remodelar a sua página online. Confira:

Redesign de sites: quando é necessário?

Redesign, como o nome indica, é a reformulação de um certo design, de modo que o mesmo pode ocorrer devido a uma série de fatores.

Quando tratamos de sites e empreendimentos online o mesmo se torna fundamental, pois é uma forma de manter uma comunicação com o público mais assertiva e, com isso, manter-se bem colocado nos motores de busca.

Dito isso, além de ferramentas SEO, que são importantes para qualquer estratégia de marketing digital, existem outros itens para serem ponderados quando tratamos desse tema.

Vamos conhecê-los?

  1. Quando o seu site não é responsivo

O primeiro item dessa lista tem a ver, portanto, com as mídias utilizadas para acessar o seu site, que podem, de fato, colaborar para o sucesso dele ou não.

É preciso ter muito bem definido que o seu público irá utilizar ferramentas diversas para acessar os seus conteúdos e que a sua página online precisa se adequar a elas.

A ideia de site responsivo é essa: um endereço que funcione bem tanto em computadores quanto em celulares, tablets, entre outros dispositivos.

Afinal, essa é a realidade dos tempos de hoje e, definitivamente, caso o seu público não tenha uma boa interação através de alguma delas, ele com certeza procurará informação em outro lugar.

  1. Quando o carregamento das páginas é lento

Outro fato que faz as pessoas, com frequência, desistirem de permanecer em determinados sites é quando o carregamento de páginas do mesmo é lento.

Esse fato se relaciona, justamente, com a demanda contemporânea pela informação, em que os dados circulam em um ritmo muito acelerado e se espera, de antemão, que seja assim para qualquer endereço na web.

Logo, para definir se está na hora de fazer um redesign é importante estar atento a velocidade em que esses itens são abertos.

Alertamos ainda que o próprio Google se utiliza desse fator para rankear sites e blogs nos primeiros lugares da plataforma.

  1. Quando a experiência não é agradável para o seu público

Além do fato do site ser responsivo e ter um carregamento lento ou não, outro ponto fundamental, que é um complemento disso tudo, é a experiência do usuário.

Nesse sentido, você tem que ter a confiança de que a plataforma que você oferece para o seu público é realmente agradável.

As pop-ups são um dos maiores problemas nesse aspecto, pois apesar de serem, eventualmente, úteis, elas podem também ser incômodas se não forem utilizadas com sabedoria.

Em outros termos, isso afasta as pessoas do seu site, fazendo com que o mesmo perca espaço nos motores de busca.

  1. Quando o design está desatualizado

Por fim, um motivo bastante evidente para investir no redesign do seu site é quando o design utilizado no mesmo está desatualizado.

Pense bem: a internet muda com frequência, as demandas e os gostos do público se transformam e a sua própria identidade frente ao mercado tende a ser reformulada. Logo, o seu site deve ser capaz de traduzir isso.

Não adianta, se você empreende no mundo digital há mais tempo, por exemplo, ter uma página cujo o formato ainda remete ao começo dos anos 2000.

É necessário que o mesmo consiga comunicar de forma eficaz como a marca se posiciona nos dias de hoje para continuar atraindo o público.

Assim, esperamos ter mostrado que investir num redesign para o seu site às vezes é preciso e que os fatores que determinam isso são, de certo modo, múltiplos, demandando uma atenção continuada.

Se você gostou desse tema e deseja saber mais a respeito, não deixe de conferir também nossas outras publicações!

A importância de ter o Google Meu Negócio

Os buscadores tornaram-se uma importante vitrine para as empresas. Entre eles está o Google, que oferece como recurso para a divulgação de sites o Google Meu Negócio.

Ter uma marca nos primeiros resultados em uma pesquisa orgânica no Google pode ser um excelente negócio. Com a utilização do mecanismo oferecido pelo próprio motor de busca, a visibilidade de uma empresa aumenta ainda mais.

Atentos a isso, resolvemos apresentar o conceito, a importância e os principais benefícios que essa poderosa ferramenta tem a oferecer. Confira!

O seu site em destaque: O que é o Google Meu Negócio e por que utilizá-lo

Na era do marketing digital, a importância do Google é inquestionável. Pesquisas apontam que, de todos os acessos a websites realizados no Brasil, cerca de 30% decorrem de pesquisas nesse motor de busca.

No entanto, a indexação no Google não garante impacto real nos lucros de uma empresa. Para isso, existem, além das técnicas de SEO, mecanismos como o Google Meu Negócio.

Essa ferramenta consiste numa forma de tornar mais fácil a divulgação de uma empresa na internet, de forma a aumentar a possibilidade de interação com o público.

Com ela, o perfil de um negócio ganha mais em evidência e precisão, o que auxilia na indexação e no bom rankeamento de um website.

As informações básicas, como a visão geral acerca dos produtos e serviços, informações de endereço e opções de compartilhamento são apresentadas já nos resultados da pesquisa orgânica.

Com isso, o usuário não precisa sair da página dos resultados de sua pesquisa, ao mesmo tempo em que pode acessar facilmente o perfil de uma empresa.

Outra possibilidade é a de colocar as informações de um negócio também no Google maps, o que permite a localização precisa do endereço.

Esse recurso permite que potenciais clientes possam encontrar em um raio próximo empresas que ofertem produtos e serviços de seu interesse.

Logo, ele é útil não somente para negócios online ou estabelecimentos localizados em regiões centrais. Lojas físicas e empresas localizadas em bairros distanciados também podem se beneficiar com seu uso.

As principais vantagens 

A primeira vantagem do Google Meu Negócio é o fato de esse mecanismo ser acessível a todos, visto ser gratuito.

No entanto, isso não implica em perda de qualidade, pelo contrário: websites criados com esse recurso são responsivos e otimizados para dispositivos móveis.

Um a segunda vantagem está na facilidade de criação e na ausência de burocracia. Um site pode ser criado em poucos minutos.

O usuário tem ainda a opção de personalizar a página com a cara do seu negócio, com textos informativos e imagens.

Uma terceira vantagem está na possibilidade de se adicionar fotos e informações em tempo real. Isso torna possível a divulgação de promoções e ofertas especiais de maneira pontual.

Um quarto ponto a ser mencionado diz respeito ao fato de esse mecanismo ser também um canal de comunicação entre clientes e empresa.

Uma quinta vantagem consiste nas ferramentas que possibilitam uma melhor compreensão do perfil dos visitantes.

Entre elas, a oportunidade de descobrir a localidade de origem de seus clientes, o que pode otimizar a segmentação de público.

Por isso, o mecanismo oferecido pelo Google é considerado uma peça chave em qualquer estratégia de SEO Local.

Todos os benefícios e um único lugar, sem custo

Todas essas funcionalidades estão, pois, ao alcance das mãos de qualquer um e unidas em um único local, o que descomplica o gerenciamento das páginas.

Com um site no Google Meu Negócio, uma empresa pode alcançar seu público com ferramentas assertivas e de fácil utilização. Além disso, não precisará se preocupar com os problemas que decorrem da manutenção de um website.

E você, pretende fazer um website com esse mecanismo? Tem alguma experiência de sucesso a relatar ou uma dica valiosa? Conte-nos!

10 métricas básicas do Google Analytics

Em tempos de marketing digital, ferramentas de métricas são imprescindíveis. E, atualmente, uma das melhores disponíveis no mercado é o Google Analytics.

De fato, para aqueles que já são iniciados no ramo, já ficou claro que não basta realizar estratégias de marketing na web. É necessário estar certo de seu real impacto. E aqui entra a alternativa oferecida pela Google.

Com o intuito de falar mais detidamente sobre esse poderoso instrumento, preparamos um conteúdo especial para você. Acompanhe!

O Google Analytics e suas métricas: O que são e para que serve

Conforme já mencionamos, de nada adianta ter um negócio na web e não monitorar sua performance. E fazer esse tipo de análise sem um instrumento adequado pode ser inviável, tendo em vista as múltiplas varáveis envolvidas.O instrumento do qual falamos aqui é um dos mais utilizados em todo o mundo e um dos mais completos.

Essa ferramenta integra a plataforma de marketing do Google e foi lançada no ano de 2005. Com ela, é possível medir o impacto e os resultados das estratégias desenvolvidas. Trata-se, pois, de uma ferramenta de web analytics. Esse termo refere-se a toda análise de informações sobre a experiência de visitantes com a finalidade de aperfeiçoamento dos sites.

O objetivo é óbvio: fazer com que essa experiência seja cada vez melhor a fim de proporcionar maiores retornos das páginas. Essa análise é possível por meio de recursos que permitem a leitura, o monitoramento e a avaliação de estratégias e ações de marketing digital. Assim, mensura-se o alcance das campanhas e quais as iniciativas que dão mais resultados (o que contribui com a assertividade das campanhas). A objetividade das campanhas fica, então, mais certa, garantindo-se um retorno do investimento.

Com o Google Analytics, pode-se obter dados referentes a número e duração das visitas, à localização dos seus usuários e a páginas mais visitadas. Falaremos sobre algumas dessas informações a seguir.

10 Métricas básicas 

1 – Relatórios: a ferramenta disponibilizada pela Google dispõe de vários tipos de relatórios, separados por categorias.

2 – Usuários: trata-se da quantidade de visitas que seu site recebeu mensuradas a partir de determinado filtro de tempo.

3 – Page-views: diz respeito ao número de páginas que foram visitadas em seu site.

4 – Duração da sessão: esse recurso diz respeito ao tempo que cada usuário permanece em seu site, o que auxilia na detecção de problemas, permitindo o aperfeiçoamento.

5 – De que páginas se originam os acessos: por meio desse recurso, pode-se medir a eficácia de campanhas de anúncios feitos no Google ou em outros sites.

6 – Localização dos usuários: permite ver a origem dos visitantes de seu site, o que é útil caso o administrador pretenda expandir seu negócio.

7 – É possível saber em que dias e horários um site gera mais tráfego, o que pode fazer com que a divulgação de uma campanha chegue a mais pessoas.

8 – Páginas com maior número de visitas: permite saber quais são as páginas mais visitadas em um site.

9 – Taxa de rejeição: representa uma visita em um site que não gerou nenhuma interação, o que pode indicar a necessidade de melhorias.

10 – Permite ainda que se possa saber por meio de quais dispositivos os usuários entram em um site.

Acessível a todos

Essa ferramenta, ao contrário do que se possa pensar, apresenta dados de forma que estes possam ser facilmente compreendidos. Suas métricas são claras e objetivas.

Nos dias atuais, o Google Analytics é um dos recursos mais utilizados por profissionais do marketing digital.

E você, é um usuário dessa ferramenta? Como ela lhe auxilia em suas campanhas e ações? Conte-nos!